O Carimbo da Emigração – Almancil

29 de Fevereiro de 2012

***

Bom dia caros visitantes do “Marafações de uma Louletana”.

Em Almancil, bonita terra do Concelho de Loulé, nomeadamente na Rotunda do Jardim das Comunidades, encontra-se a escultura “Carimbo da Emigração”. Esta escultura de bronze, da autoria do belga Francis Tondeur, foi inaugurada a 7 de Novembro de 2008, aquando das comemorações do 172.º aniversário da existência desta “terra de Diáspora”.

Este monumento pretende homenagear não só aqueles que partiram de Almancil rumo a vários cantos do mundo em busca de uma vida melhor, mas também as comunidades estrangeiras que encontraram em Almancil um local para fazer a sua vida. O elemento central desta escultura é um carimbo enquanto símbolo de toda a problemática da Emigração, nomeadamente em termos das barreiras burocráticas que são postas aos emigrantes. De acordo com o artista “”essa inalterável leitura do carimbo do ponto de vista conceptual relega-nos para a questão central desta obra: seja em que direcção for, quer para entrar ou para sair, precisamos de ‘um carimbo’”.

À volta do carimbo, encontram-se figuras humanas acompanhas de malas de viagem para os quais este representa a monumental barreira do burocrático. Numa escala de proporções, a mulher e a criança aqui representadas são as que se apresentam numa posição de inferioridade, não só devido à escala, mas também devido à sua postura de passividade. Esta passividade é contrastante com a postura activa dos homens, que são normalmente os primeiros a partir, averiguando o terreno para a recepção futura da restante família.

Refira-se que se durante as décadas de 50 e 60 foram muitos os almancilenses que saíram da sua terra para países como França, Estados Unidos, Venezuela ou Argentina em busca de uma vida melhor. Nos últimos anos assistiu-se à entrada de estrangeiros que escolheram esta freguesia também para melhorarem a sua vida, nomeadamente emigrantes com origem nos países de Leste e em África. Por outro lado, Almancil tornou-se igualmente um local apetecível para um outro tipo de emigração, nomeadamente ingleses, irlandeses, alemães ou holandeses, na sua grande maioria com uma faixa etária acima dos 50 anos, que aqui compraram residência para desfrutarem da reforma.

 

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *