Monografia do Concelho de Loulé

Publicada em 1905, pela Tipografia Universal, no Porto, a Monografia do Concelho de Loulé constitui uma obra incontornável no que se refere ao estudo da história e da etnografia de Loulé.

 

O seu autor, Francisco Xavier de Ataíde Oliveira (1843 – 1915), bacharel formado em Teologia e Direito pela Universidade de Coimbra e Conservador Privativo do Registo Predial da Comarca de Loulé, instigado a desenvolver este trabalho pelo Abade de Miragaia, consagrou o mesmo à memória do seu amigo e insigne louletano Dr. Marçal Pacheco. Inserindo-se no contexto cultural de finais do século XIX, fortemente marcado pelo chamado nacionalismo romântico, do qual Almeida Garrett foi o principal precursor em Portugal, a Monografia do Concelho de Loulé, tal como os inúmeros estudos monográficos da autoria de Ataíde Oliveira, procura dar ênfase às tradições e aos mais diversos aspectos que reforçam e descrevem a identidade da província algarvia e do seu povo. Tratando-se de uma obra com um carácter antropológico muito forte, Ataíde Oliveira escreve na introdução: “As curiosidades históricas, e outras notícias espalhadas neste livro, vieram-me de diversas fontes, sendo a tradição oral uma das principaes. Para o povo tive de apellar […]. Appelei pois para o povo e encontrei o que esperava.”. O autor refere ainda, nas suas notas introdutórias, que os dados históricos, geológicos, hidrográficos, entre outros, apresentados na Monografia do Concelho de Loulé, são retirados de obras como a Corografia do Reino do Algarve de João Baptista da Silva Lopes e a Memória sobre o Reino do Algarve: Descrição Geográfica e Geológica de Charles Bonnet.

 

As informações que Ataíde Oliveira nos deixou com esta Monografia são preciosas, sobretudo no que diz respeito à descrição de monumentos locais, alguns deles posteriormente modificados; bem como ao registo de tradições e costumes que se desvaneceram com o passar do tempo.

 

O valor do legado de Ataíde Oliveira é tal que ainda hoje os seus estudos estão na base de novas investigações. Podemos referir um desses estudiosos, Pedro de Freitas que se inspirou sobejamente no trabalho de Ataíde Oliveira para redigir os seus “Quadros de Loulé Antigo”, cuja primeira edição data de 1964.

 

Em súmula, Ataíde Oliveira é autor de uma obra intemporal e sempre recheada de novidades para aqueles que apreciam conhecer mais deste nosso Algarve.

 

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *