***

Bom dia caros visitantes do “Marafações de uma Louletana”.

Em época de Páscoa o folar é rei! Podemos dizer que o folar se trata de um “pão” que durante esta festividade é tradicionalmente confeccionado, confecção essa, tal como o conteúdo e a forma, que varia segundo as diversas regiões do nosso país. Quer isto dizer que existem folares para todos os gostos.

Como não podia deixar de ser trouxe-vos a receita de um folar tipicamente algarvio, daquele Algarve da serra e do barrocal em que embora se vão perdendo certos costumes mantém-se muitas das tradições. A receita que vos trago assemelha-se muito à forma como a minha avó e até a minha mãe faziam os folares outrora. Então é assim:

 

INGREDIENTES

3 kg de farinha com fermento;

3 ovos;

2 kg de açúcar;

1 colher de banha de porco;

100 g de margarina;

1 l de chá feito com pau de canela, erva-doce estrelada e casca de limão;

1,5 l de leite;

fermento inglês q.b.;

sal q.b.

 

PREPARAÇÃO

 

Desfazer o fermento inglês num pouco de água. Amassar a farinha com o fermento, os ovos e o sal. Depois, trabalhar a massa juntando, pouco a pouco e alternadamente o leite e o chá ainda mornos. Deixar levedar abafando com um cobertor (normalmente a massa duplica de volume, o que pode levar de uma a duas horas, dependendo da temperatura ambiente). Só depois se junta o açúcar, misturando bem.

Por fim, coloca-se a massa em tachos ou pequenas panelas de alumínio bem untadas e enfarinhadas. Esperar mais um pouco, e colocar 1 ou 2 ovos com casca, ainda crus, na massa e levar a cozer em forno médio.

 

Hoje em dia já são poucas as pessoas que amassam os folares com as mãos e menos ainda aquelas que os cozem em forno de lenha. Mas nas minhas recordações era assim que os melhores folares, os mais tradicionais, eram feitos. Com o auxilio do alguidar de barro, a massa bem sovada, bem levedada e colocada em velhas panelas de alumínio que reluziam ao abrir a porta do forno. 

Belos tempos. Hoje o folar perdeu muita da sua qualidade e raros são aqueles que trazem o ovo cozido lá dentro, o que, diga-se de passagem, dava ao folar uma singularidade engraçada. Enfim, a tradição já não é o que era!

 

2 Comments

  • Dzan diz:

    Quando morei em Loule9 comia um delicioso com veios de cnaela e era bem fofinho. Quando a minha me3e o trazia ne3o durava 1dia, mas ne3o consigo encontrar esse folar em lado nenhum,nem em Loule9. c9 que a minha me3e comprava numa mercearia e quando le1 fui esta pe1scoa, estava fechada.:(

  • maria diz:

    olá também era assim que minha mae fazia e eu é minha irma ainda continuamos fazendo assim

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *