A empreita

25 de Maio de 2011

 

Bom dia caros visitantes do “Marafações de uma Louletana”.

Hoje este blog marafado dá-vos a conhecer um pouco do artesanato e das artes manuais do Concelho de Loulé. E decidiu começar por vos apresentar a empreita de palma. Um forma de sustento em tempos dos meus avós, a empreita é hoje vista como uma arte praticada por poucos e uma atractivo turisto.

A empreita, feita à base de palma, possui diversas fases:

Os ramos de palma são, primeiro, postos a secar. Parecem pequenos leques que, depois, hão de ser rasgados com o polegar, separando cada fina folha da palmeira anã.

Posteriormente a palma é demolhada para que não quebre ao ser entrelaçada. Ao demolhar segue-se a sua colocação em enxofre para ser clareada ou, para certos efeitos, tingida.

Depois começa então a confecção da empreita propriamente dita. A empreita consiste no entrelaçar das folhas de palma formando tiras que vão sendo enroladas e depois, quando unidas, formam então as alcofas.

Normalmente, sentadas em pequenas cadeiras deatabua, com um molho de palma enrolado num trapo velho humedecido, as mulheres faziam empreita escolhendo com arte cada folha, ripando as mais largas com os dentes para que a tira fosse sempre crescendo certinha.

Para cozer a empreita, ou seja, unir as diversas tiras, era feita a “baracinha”. A baracinha consiste igualmente no entrelaçar das folhas de palma até formar uma espécie de “linha” depois utilizada, através de uma agulha de cobre, para ir cozendo a empreita e dando forma aos “sacos”, alcofas”, balaios, etc.

Segundo a wikipédia:

” A empreita de palma surgiu com a necessidade de embalar figos, amêndoas e alfarrobas para o seu transporte; passou, então, a ser utilizada noutros objectos quotidianos, na pesca, e com propósitos decorativos. A esteira popularizou-se devido à lacuna de mobiliário nas habitações mais humildes.

Originalmente, a matéria prima provinha do interior Algarvio, embora actualmente, devido à escassez da planta nesta região, as folhas de palma começaram a ser importadas do Sul de Espanha, aonde a produção de palma foi transformada em indústria.

Actualmente, a empreita é efectuada quase totalmente com propósitos decorativos, sendo uma das atracções turísticas na região. Verifica-se, igualmente, uma maior diversidade de materiais utilizados na empreita, como os plásticos e outros materiais reciclados.”

Nota:

1. E pronto aqui foi contada uma pequena história sobre a empreita e o artesanato do nosso Algarve.

2. A marafada lamenta que estas e outras tradições se estejam a perder e apela para que os mais jovens se preocupem não só com o seu passado como procurem aprender, conhecer e preservar as suas tradições.

4 Comments

  • Andrea Marques diz:

    Olá,
    Sou eborense e vou abrir uma loja de artesanato português aqui em Évora, gostaria de fazer revenda destes tapetes de empreita algarvios na minha loja. Já fiz alguma pesquisa mas não encontrei nenhum contacto de artesãos de empreita. Será que me pode ajudar e fornecer alguns contactos? Agradeço muito! Andrea Marques/Évora

  • Boa tarde,

    antes de mais obrigado pela sua visita.
    Deixo-lhe o contacto de uma das melhores artesãs de empreita do concelho de Loulé:

    Cremilde Lourenço
    Morada Sítio dos Palmeiros
    Código Postal 8100-189 Salir
    Concelho Loulé
    Local Salir
    Telefone 289489389

    É uma questão de falar com a Dona Cremilde e saber se ela está interessada num possível negócio.

    Um abraço

  • Andrea Marques diz:

    Muito obrigada! Hei-de fazer o contacto!

  • filomena Máximo diz:

    Será possível um workshop sobe o trabalho de empreita?

    Bom trabalho de divulgação desta arte algarvia.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *